15 de nov de 2018

O primeiro ninho vazio é o ventre?

Crianças paridas
Sinto em meu colo seu conforto
Em meu útero sinto suas faltas
Enluto suas saídas pro mundo
(apesar de ser tão lindo vê-los correr)

O primeiro ninho vazio é o ventre?

Será que foi tão intenso que bastou viver?

Tanta coisa aconteceu
Ainda sei escrever?

Por em palavras sentimentos?
Por nas palavras sentidos que até eu desconheço?

Ler-me anos atrás
é estranho

Houve um tempo que a escrita dava voz e me organizava
Hoje o contexto é outro
escrita só a acadêmica, poesia nem nas horas vagas

Triste perceber que alguma coisa tirou a poesia de mim
O que? Em qual momento deixei a poesia ir?

Nem rascunhos. É triste olhar pra trás e não ver meus pensamentos virarem poesia
É quase como não ter vivido.

Ao mesmo tempo tanta coisa boa aconteceu
Joaquim e Francisco Irineu

Será que foi tão intenso que bastou viver?

a potência dos seus nascimentos
a força das suas presenças
um abraço que acalenta
são meus filhos, aconchego infinito
aprendizado permanente

uma parceria de amor
cumplicidade, construção
tantos desafios encarados

Mas, do eu que escrevia para essa que eu nem sei se sabe ainda,
Como foi mesmo que eu cheguei aqui?

agora tento exercícios de olhar pra frente
mas como, se não sei nem dizer o que aconteceu?
sei que eu não sou tartaruga em cima de poste
cheguei aqui e batalhei...
mas em qual ponto do caminho eu perdi a poesia?

será que foi quando deixei de sonhar com amores de sonho pra viver um amor real?
Algum amor é real?

Não sei. Sei que se acende em mim a vontade de escrever.
Mesmo que ninguém leia. Mesmo que seja pro meu eu do futuro.

8 de jun de 2013

Caminhando e cantando

Se o caminho se faz ao caminhar
No labirinto dessa nossa vida
Posso escolher outro destino
Caminhar continua sendo a lida

Entre percurso de pedra e espinho
Entre trajeto de rio e de flor
Eu escolho caminhar

16 de jan de 2013

Saturno

No vazio da tarde
Lembranças me percorrem

Liberdades e solidões
Em mim, vivem e morrem

Se o caminho é feito de passos
Muito ainda por trilhar

E por mais que me apertem saudades
Não é o tempo de compartilhar

Porquê.

Porque te quero perto


Pra partilhar o dia, a cama

Poder dizer que ama



Contar o verso

Cantar contigo

Encontrar abrigo



No hoje, no sempre, no agora.

Em mim, em ti, dentro e fora.

Me aperta

meabraçaforte
meaperta


quem sabe
assim

espreme
de mim
 

a dor
que ainda resta

7 de jan de 2013

Labirinto

As vezes perco a paciência
As vezes, a cabeça

Mas não me perco de mim
Me encontro em cada curva do destino

22 de out de 2012

guARDE.

Queria guardar este amor
Você só guarda silêncio

Queria guardar os sorrisos
Acabo guardando a lágrima

Queria guardar as estrelas
Mas só guardo o barro do chão
Ou a água da chuva

Mar profundo me guarda
Nele acho abrigo

14 de out de 2012

futuro do presente

Sentir saudade
não quer dizer vontade
de estar junto.

Sentir saudade
é sentir uma falta nostálgica,
daquilo que podia ser,
                  poderia ter sido.

Não sinto vontade de passado.
Pretérito imperfeito.

É futuro do pretérito.
Ou talvez,
futuro do presente.

10 de out de 2012

bilhete

Ontem, por acaso, achei um billhete de amor
era o cartão de um presente
de três meses de namoro de muitos anos atrás.

Ontem viajei no tempo e senti o perfume de flor

a memória estava inteira na mente
e passeei no jardim florido de muitos anos atrás.